foto-danielle-macinnes-begin-caneca
A maior das verdades é com certeza aquela que diz que somos o nosso maior inimigo. Já reparou como tudo que pensamos de negativo acaba internalizado em nossa mente com muito mais facilidade?

Foto: Danielle MacInnes

Em uma das minhas andanças por essa internet sem lei que tanto amamos, me deparei com uma dessas imagens motivacionais breguinhas com texto em letra cursiva e moldura chamativa. Provavelmente já devo ter esbarrado com ela um milhão de vezes pelo Pinterest ou em buscas no Opensador. Porém, dessa vez me chamou atenção e consequentemente não consegui parar de pensar a respeito do tamanho da verdade em tão poucas palavras. A citação de Buda dizia:

“O que somos é consequência do que pensamos.”

Somos nosso maior inimigo

Tantas foram as vezes em que me perguntei “quem sou eu?” e “qual o meu propósito por aqui nessa terra?” (geralmente pensamentos de pessoas com probleminhas de ansiedade). E tantas foram as vezes em que sem querer proferi palavras autodepreciativas sem perceber o tamanho do mal que estava causando a mim mesma. A maior das verdades é com certeza aquela que diz que somos o nosso maior inimigo. Já reparou como os pensamentos negativos acabam internalizados em nossa mente com mais facilidade? Já reparou também como esses pensamentos acabam moldando nossa maneira de reagir diante de adversidades ou situações rotineiras da vida? “Eu não sou capaz” “Não vou conseguir” “Esse elogio não pode ser verdade” “Somente eu fico pra trás” é, eu sei, até ler em voz alta é doloroso.

Passei a me policiar mais de uns tempos pra cá, pensar mais a respeito sobre algumas das minhas atitudes. Tentei me afastar de tudo que estimulava em mim pensamentos e palavras negativas. Falhei com o Twitter, mas já estou treinando minha cabecinha a esquecer o que ver de ruim por lá e não reproduzir de maneira alguma o que vi. Nem em comentários, nem em conversas. A consciência do que você consegue digerir ou não é importante e parte fundamental na”desintoxicação” desse processo vicioso que consiste em alimentar inseguranças.

É possível

Algumas mudanças na rotina estão ajudando a evoluir nessa coisa de internalizar e proferir o positivo. Acordar cedo, exercícios todos os dias pela manhã, não tocar no celular antes das 9h, me afastar das redes sociais, não rebater elogios, aceitar o que não posso mudar, não me forçar a fazer se simplesmente não quero. A lista continua e daria uns 10 parágrafos, mas já posso afirmar como meu sono melhorou 100% e como mal posso esperar pra dar o próximo passo todos os dias. Passei a acreditar no possível e a falar “É possível”.

Inclusive, espero que esse texto tenha te inspirado também a ponderar sobre a frase de Buda. Sei que minha luta é constante pra lembrar que tudo que digo e penso influenciará nos caminhos que dou pra minha vida, consequências diretas do que estou plantando em mim, mas já posso afirmar com toda certeza que estou no caminho certo. O mindset precisa ser outro, não é verdade?

Até a próxima ♥