Demorei uma eternidade pra fazer esse post, mas aqui está. No final de setembro de 2018, visitamos o Chile. Esperávamos nos surpreender com o país, mas não imaginávamos que ele iria superar nossas expectativas em tudo. Que lugar incrível!

O Chile é um país de muitas faces, na extremidade norte o Atacama, no Sul as montanhas e a Patagônia. Com 1h de ônibus saindo de Santiago, já estamos nas famosas Valparaíso e Viña del mar, a um passo de conhecer o oceano pacífico MEGA GELADO. Também não dá pra esquecer do aspecto mais lindo do país né? A famosa Cordilheira dos Andes.

Na minha opinião, não dá pra conhecer todas as belezas em uma única viagem de 10 dias, muitas pessoas decidem fazer o combo Santiago e Atacama, mas queria muito conhecer o que a cidade tinha pra oferecer com tranquilidade. Espero voltar lá outras vezes, principalmente porque alimento muito esse sonho de visitar o Atacama + Salar do Uyuni.

Chegando em Santiago

A experiência de avião até o Chile não foi muito agradável. Muito susto e turbulência. Estou traumatizada até hoje. O piloto não deu uma folguinha naquele microfone. No voo de ida pra SP tivemos que arremeter logo quando chegamos em GRU e apesar de ser um procedimento normal na aviação, pode acreditar, é MUITO desagradável.

O primeiro dia é sempre aquele do descanso, né? Nosso voo chegou em Santiago às 15h de uma segunda. Como estávamos apenas com mala de mão (decisão abençoada na vida de todo viajante), pegamos um ônibus no próprio aeroporto. É tudo muito rápido, a última parada fica na estação do metrô, lá você compra a Tarjeta BIP! pra poder utilizar o serviço e pronto! Descemos bem pertinho da nossa hospedagem, fomos andando até lá e pegamos a chave do apê pra poder finalmente nos acomodar.

O próximo passo foi conhecer as redondezas do apartamento. Fomos ao supermercado pra abastecer a geladeira e andamos um pouco pelo centro, pra achar o local onde trocaríamos dinheiro. Por motivos de localização mesmo, acho bem importante conhecer as redondezas. Isso ajudou bastante no dia seguinte, pois já sabíamos como chegar mais rápido nos lugares.

Hospedagem

Meu estilo de Turismo é bem mochilão, gosto de andar, pegar o mapinha, conhecer todos os bequinhos e realmente viver como os nativos. Então, o primeiro passo foi ficar hospedado em um airbnb. Optamos por reservar o lugar inteiro, mas no airbnb dá pra baratear a estadia optando pelo aluguel de quartos. Amamos a localização do apartamento que escolhemos, tudo muito pertinho e acessível, o que acabou ajudando na economia. O Anúncio do apartamento que ficamos não está mais disponível, mas existe uma variedade enorme de lugares dos mais diversos estilos pra você se hospedar.

Se você quiser ganhar um descontinho de R$130 na hospedagem, faça sua reserva através desse convite . Ganha você, eu também ganho, todos ficam felizes ihuuu obrigada, de nada!

Alimentação

Você consegue economizar bastante quando resolve se abster de restaurantes luxuosos em troca da experiência de comer como um Santiaguino de verdade. Nosso café da manhã em todos os dias foi basicamente pão+atum e café. Sério, o que são as latinhas de atum no Chile? A gente viciou muito em fazer patêzinhos pra comer, provamos todas as marcas.

Comemos empanadas chilenas, que é um tipo de pastel de forno gigante com massa estranha. Provamos os completos con palta (cachorro-quente com abacate temperado e maionese) que são muito saborosos. No almoço íamos de churrasco chileno, que é basicamente um sanduíche gigante com filé desfiado, molho de maionese e salada. Não dá pra esquecer também a primeira vez que se toma o tal mote con huesillos, chá gelado com pêssegos e trigo cozido. Você não esteve no Chile se foi pra lá e dispensou o mote.

Os supermercados vendem uma variedade interessante de coisas. Experimentamos uma infinidade de chás, sucos e biscoitos. La eles costumam vender também macarrão com molho em formato de quentinhas e saladas prontas.

Cerro Santa Lucía, centrão, Lastarria e Belas Artes

vista-cerro-santa-lucia

Quando estivemos lá era final do inverno, mas o tempo estava meio louco e sim, estava muito frio. Por causa disso e da poluição forte, a visibilidade ficou comprometida praticamente em todos os dias que estivemos lá. O céu só ficou limpo no último dia ˜chora˜.

No segundo dia visitamos o Cerro Santa Lúcia. Andamos muito pelo centro também, conhecemos a biblioteca central, galerias de lojas, a Plaza de Armas, Catedral Metropolitana e Museu histórico nacional.

Também foi dia de conhecer um pouco os bairros Lastarria e Belas Artes. Nem tirei muitas fotos nesse dia, preciso praticar mais minhas abilidades de blogueira/vlogger. A única coisa que conseguia fazer era olhar as construções antigas bem estilo europeu, ler plaquinhas de restaurantes e curtir o friozinho/conversar.

Museus e Palacio de la Moneda

Dedicamos o terceiro dia aos museus e ao famoso Palacio de la Moneda. Primeiro visitamos o Museo de la memoria y los direchos humanos, que me fez chorar. Não foi fácil ver tanta informação sobre os horrores da ditadura na America do sul. Nós brasileiros não falamos muito disso e talvez por este motivo o Brasil tenha colocado quem colocou na presidência. Enfim… Visita praticamente obrigatória. Pra chegar lá tivemos que ir de metrô, pois ele fica um pouco afastado do centro.

Na volta, fomos ao Museu de arte Pré Colombiano. Um dos meus passeios preferidos! O museu tem uma super estrutura, é todo moderninho e o acervo sobre as primeiras civilizações das americas é mega rico e completo. Fiquei bem impressionada. Amei tudo lá dentro. Recomendo também!

Aproveitamos o resto do dia pra curtir o Palacio de la Moneda e o Centro Cultural La Moneda (Espaço muito legal e gratuito), no dia estava rolando uma exposição linda sobre vida marinha.

Cerro San Cristóbal e Bellavista

O Cerro San Cristóbal fica localizado no Parque Metropolitano de Santiago no bairro Bellavista, lá é o segundo ponto mais alto de Santiago, perdendo apenas pro Sky Costaneira (felizmente não paguei um rim pra estar lá por motivos de NÉVOA. A visibilidade das cordilheiras estava quase 0). A vista de Santiago é a coisa mais perfeita e o passeio vale muito a pena.

Pra subir até o topo você precisa usar um funicular. Essa parte foi um pouco tensa porque o transporte é um pouco velho e faz uns barulhos estranhos, sem falar que você está subindo uma ladeira, então dá um friozinho na barriga.

No topo você pode visitar uma capelinha com a Virgen de la Inmaculada Concepción. O Papa João Paulo II celebrou uma missa lá quando esteve na América latina na década de 80. Depois de visitar o cerro, andamos um pouco pelo bairro e paramos pra comer uma pizza no Patio Bellavista.

Cajón del Maipo / Embalse el Yeso

Aqui eu pude ver com meus próprios olhinhos uma das paisagens mais lindas da minha vida. Também foi nosso primeiro contato com a neve. Conto tudinho em outro post com detalhes.

Valparaíso e Viña del Mar

Pra quem saiu de Pernambuco, Valparaíso é tipo uma Olinda. Pra ser bem sincera, o caminho de ônibus pra chegar lá, cheio de paisagens montanhosas de tirar o fôlego, é muito mais legal que Valparaíso em si.

O lugar é mega confuso de se localizar, até mesmo com mapa. Alguns becos tem um ar meio pesado e você pensa que a qualquer momento alguém vai aparecer pra te roubar. Síndrome de Brasuca. Mas mesmo assim, vale a visita. Conto tudo no próximo post sobre o Chile.

Las Condes e Shopping Arauco

O último dia estava destinado a um passeio bem fora dos roteiros comuns. Nos visitaríamos o Templo Bahá’í de Sudamérica .Porém era um pouco longe e complicado chegar lá e devido ao cansaço acabamos optando por um passeio mais de boa. Fizemos uma pesquisa rápida e resolvemos visitar uma das comunas mais ricas de Santiago: Las Condes.

Lá é bem turístico/comercial e destoa bastante do que já tínhamos visto na cidade. Parecia que estávamos em um pais de primeiro mundo, super infraestrutura. Visitamos o shopping Parque Arauco e no fim do dia voltamos pro airbnb.

Curiosidades

  • Uma das coisas que mais chamam atenção no centro de Santiago é a limpeza das ruas. Apesar da poluição visual das inúmeras pichações, você não encontra um único papelzinho de chiclete pelo chão. É de ficar com o queixo caído.
  • As lojas tipo farmácia e conveniência não entregam sacolas. Estava na rua quando minha menstruation veio sem aviso, talvez por causa do clima, não sei. Meu coletor estava no apê, então tive que recorrer aos absorventes. Sai da farmácia com o pacote na mão pra quem quisesse ver e segui para o banheiro público.
  • Os absorventes lá vem cheios de marcações e instruções de uso e o que eu comprei tinha uma tecnologia muito diferente de distribuição de fluxo. Em todos os anos que usei absorvente, nunca vi nada parecido aqui no Brasil ahahhahaha
  • Os Santiaguinos vivem com pressa e não almoçam como a gente. É tudo na base do sanduíche, cachorro quente, as famosas empanadas, pizza, salada ou frango e arroz. Sempre.
  • Se você andar bastante pelo centro, pode presenciar um chamado dos bombeiros. É tipo um caminhão a 200km por hora, buzinando nonstop no meio da rua. Capaz de matar mil no caminho pra socorrer um. Loucura mesmo.
  • A Policia Federal no Chile é muito arrumadinha, bem CSI engomadinho.
  • Em toda esquina, repito, TODA ESQUINA, você encontra uma Starbucks. Sério, fiquei muito impressionada com a quantidade.
  • Se prepare pra acabar o dia cheirando a cigarro. Além da poluição que fica presa na cidade por causa das cordilheiras, os santiaguinos são fumantes assíduos. Em todo lugar você vai levar uma baforada na cara. No joke.
  • A fardinha que os estudantes usam é muita linda e os adolescentes são mega estilosos. Mas também começam o hábito do cigarro bem cedo, cansei de ver estudantes com cigarro na mão.
  • Os santiaguinos adoram rap e hip hop, é comum ver gente com fone de ouvido gesticulando com os braços e cantando no meio da rua. Super normal mesmo.
  • Os santiaguinos se vestem muito bem e todos usam cores bem sóbrias. O turista já se entrega quando usa cores chamativas e luvas coloridas. Se quiser se misturar mesmo, vai no preto/ tons de cinza.
  • Muitos deles possuem tatuagens no pescoço e nas mãos. Achei que era só coisa de moda mesmo, mas depois me deparei com uma questão. Serão esses lugares comuns já que durante metade do ano eles precisam ficar empacotados com casacos e afins? Fica o questionamento.

Dicas

  • Não subestime o espanhol. Os chilenos falam MUITO rápido e é praticamente impossível entender se eles não estiverem dispostos a falar devagar. Também não tente o portunhol, conhecido como espanhol despacito pelas bandas de lá. Se você falar português normal ou inglês, eles te entendem melhor.
  • Os banheiros públicos de Santiago são pagos, inclusive em algumas galerias e lojas de conveniência. Todos que fui eram muito limpos e organizados (com exceção do banheiro na rodoviária de Valparaíso, onde nem a porta tinha fechadura e uma pessoa invadiu minha cabine enquanto fazia xixi, me expondo pra toda fila do banheiro hahahaha jamais esquecerei)
  • No Chile a gorjeta você paga diretamente ao garçom. Os Santiaguinos costumam deixar o dinheiro em cima das mesas.
  • Cuidado quando for atravessar a rua. Eles dirigem como LOUCOS e quase fui atropelada duas vezes.
  • O lugar pra trocar dinheiro é na Rua Agustinas. Vá sempre no fim do dia, quando o real valoriza mais. Não sei dizer por quê.
  • Em Santiago eles tem um monte de franquias Fast food com comidas típicas de lá e isso facilita demais na hora de fazer um lanche rápido.
  • Não é proibido vender coisas e fazer pocket shows no transporte público (isso mesmo, eles levam microfone, caixa de som, vão caracterizados, alto nível mesmo hahahaa) , mas não é permitido comprar ou dar dinheiro pra essas pessoas.
  • Esqueça táxi em Santiago. Eles te roubam na cara dura. Seja um adulto inteligente e use o transporte público da cidade. Você vai pra qualquer lugar de metrô ou andando. QUALQUER LUGAR.

Tem vlog? TEM VLOG! E se ficou com dúvidas, só falar comigo nos comentários.


Compartilhe no Pinterest !
Posted by:Agatha Chris

Por aqui escreve sobre as coisas que ama e tudo que há ao seu redor. Não vive sem sonhos, chocolate, cachorros, cinema, séries, música, fotografia e Netflix. Email: agavalenca@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *