Queria ter escrito essas dicas ontem, já que foi quando se iniciou o feriadão, mas nem tive tempo de pensar em nada. Porém, final de semana está ai, muitas pessoas nem foram trabalhar hoje e nada melhor pra relaxar a cabeça do que ver filmes interessantes pra se sentir mega inspirado, né? Pelo menos comigo funciona assim… pode me chamar de louca, mas quando estou cansada ou me sentindo triste/incomodada com algo eu corro pra ver um filme. Listei aqui com muito carinho 3 filmes argentinos lindos, perfeitos e inesquecíveis, daqueles que te fazem pensar sobre a vida, só pra você escolher com propriedade a diversão nesse tempo livre.

Pra você que não sabe, nossos hermanos argentinos são mega especialistas na sétima arte e já tiveram muitos dos seus títulos indicados ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Minha descoberta começou com Medianeras de Gustavo Taretto ano passado e como amei muito, não consegui parar mais… Ele inclusive é o primeiro da lista de indicações! Clicando nas imagens, você pode ver os trailers.

→ Medianeras (2011) ←

Medianeras1
“Internet me acercó al mundo pero me alejó de la vida” (algo como “A internet me aproximou do mundo, mas me distanciou da vida”)

Medianeras é a coisa mais linda gente. O titulo faz alusão as comuns fachadas de prédios argentinos chamadas de pared medianera, que são laterais de prédios que não possuem janelas por conta da proximidade com o edifício construído ao lado (essa definição inclusive, faz uma relação incrível com a situação dos personagens. Dá super pra fazer uma ligação filosófica). O filme conta a história de Martín (Javier Drolas) e Mariana (Pilar López de Ayala), pessoas que moram próximas uma da outra, que passaram por complicações amorosas recentes, que possuem personalidades semelhantes, mas que vivem em meio a solidão causada por essa era virtual em que vivemos. Foi muito legal acompanhar o desenrolar do roteiro porque no começo parece que o filme não vai agradar muito, mas depois cativa de um jeito que quando acaba, você se pega toda emocionada hahahah! O humor dramático do filme combina perfeitamente com o clima melancólico que ele tem. Como já falei, a direção e roteiro são do argentino Gustavo Taretto.

→ El mismo amor, la misma lluvia (1999) ←

amorlluvia_002
“A veces pienso que las charlas sin importancia, en lugares sin importancia fueron los momentos mas importantes de mi vida” (algo como “Às vezes penso que as conversas sem importância, em lugares pouco importantes foram os momentos mais importantes da minha vida¨).

Filme dirigido pelo gênio Juan José Campanella que logo depois ficou mega conhecido por El secreto de sus ojos (2009) terceiro filme dessa lista. El mismo amor, la misma lluvia é aquele filme sensível mas carregado de paixão, sabe? Tem também um tom que revela um pouco de critica social, já que os personagens vivem realidades profissionais diferentes. O filme mostra como o destino pode brincar com a gente e com os nossos sentimentos e nele conhecemos a história do casal Jorge (Ricardo Darín) e Laura (Soledad Villamil), duplinha que estreou nessa produção e que repetiu a dose de atuação em outras. Eles se conhecem em meio a uma tempestade e de cara já sabem que possuem algo de especial, mas então são separados pelos acontecimentos da vida, vindo a se reencontrar somente depois de um tempo. Romance de ótima qualidade.

→ El Secreto de sus Ojos (2009) ←

secreto-1
“Mi vida entera ha sido mirar para adelante. Atrás no es mi jurisdicción. Me declaro incompetente” (algo como ” Toda a minha vida tem sido olhar para a frente. Voltar não é minha jurisdição. Me declaro incompetente”)

Olha o casalsinho ai de novo, filme também dirigido por Juan José Campanella e ganhador de um Oscar! El Secreto de sus Ojos foi um daqueles filmes que o final me deixou sem respirar e totalmente inquieta. Muito f**aaa! Um suspense digno de aplausos, sem clichês baratos e com uma história mega envolvente! Uma das coisas que mais gosto nele é a trilha sonora e a fotografia marcante, além das idas e vindas em momentos passados da história que faz com que fiquemos presos na trama. O filme gira em torno do assassinato cruel de uma mulher e do personagem chave interpretado por Ricardo Darín, Espósito, que depois que se aposentou do serviço público no Fórum Criminal de Buenos Aires, resolve retornar a um de seus casos mais marcantes para escrever um romance policial fictício que utiliza fatos reais. É ai que se desenrola o roteiro, através de um maior envolvimento do personagem com o vitima, coisas vão surgindo e tudo parece que terá um desfecho comum, como o de todos os outros filmes, mas somos surpreendidos pela criatividade. Recomendo demais!

Medianeras e El Secreto de sus Ojos estão disponiveis no Netflix. Como sou boazinha, aqui vai 2 bônus porque gosto de trapacear hahaha e acho que são filmes que merecem ser pelo menos citados. Assistam Elsa & Fred (2005) de Marcos Carnevale e Un cuento chino(2011) de Sebastián Borensztein (tem no Netflix também). Foram surpresas muito agradáveis pra mim porque fui assistir sem esperar tanto e agora estão sempre na minha lista de filmes legais pra indicar.

Gostaram? Já chegaram a ver algum deles? Me conta!
Até a próxima 🙂

Posted by:Agatha Chris

Por aqui compartilha sobre as coisas que ama, sentimentos e tudo que vive. Não vive sem sonhos, chocolate, cachorros, novos ares, cinema, música e fotografia. Email: agavalenca@gmail.com

10 thoughts on “ 3 indicações de filmes argentinos pra amar ”

  1. O segredo dos Seus Olhos deve ser o filme mais lindo que eu já vi (e provavelmente o que mais chorei), tanto que não consegui ver o remake com Jolia Roberts e Nicole Kidman que chegou no Netflix. Sou apaixonada pelo Darin desde então, mas não vi o “El mismo amor, la misma lluvia”, vou colocar aqui na lista! Assista Truman com ele também (tem cachorro!!!).

    Medianeras também nunca assisti e sei que configura falha de caráter da minha parte, desculpa.

  2. Fico muito feliz de ver um post sobre filmes argentinos, e ainda mais porque tem O Segredo dos Seus Olhos, um dos melhores filmes que eu já assisti na vida e que tem um dos melhores atores que eu já vi também, Ricardo Darín.
    Adorei o post e já quero ver as outras indicações também!
    🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *